Os irmãos Lumière e a Invençao do Cinema


introdução O cinema nasceu da vontade humana de reproduzir a imagem em movimento, e dessa forma representar o mundo tal como ele nos surge: num espaço (tridimensional) e num tempo (continuum).
Foram vários aqueles que participaram na invenção do cinema, mas foi aos irmãos Louis e Auguste Lumière, que coube o registo da patente do Cinematógrafo: o aparelho que possibilitou a projeção de imagens em tela a um vasto público.

A primeira sessão de exibição pública, paga, foi em 1895, em Paris.

Os oito filmes apresentados, são o registro de situações cotidianas, filmadas ao ar livre, cada um deles, com pouco mais de cinquenta segundos. Com uma poética única, os filmes Lumière, abriram portas ao mundo da Sétima Arte. Mas no entanto, também em 1985, em Berlim, os irmãos Max e Emil Skladanoswky, projectavam no seu "Bioskop" (que funcionava como um projector de slides, em ritmo acelerado), o registo filmico de situações extraordinárias, como artes circences e danças tradicionais.
O reconhecimento dos avanços técnicos do cinematografo, em relação ao Bioskop, levaram a que os Skladanowsky abandonassem o projecto, mas sem antes nos deixarem uma outra "visão" da espectacularidade, associada ao nascimento do cinema.

Os irmãos Lumière e a invenção do cinema

Ver filmes não seria possível sem um princípio científico designado: “a memória da retina” ou "a persistência da imagem na retina", sintetizado pelo belga Joseph-Antoine Plateau.
A retina é a parte do olho humano que capta a luz, transmitindo imagens ao cérebro. A duração dessa transmissão é mais lenta que a recepção de 24 imagens fixas por segundo, na retina, o que faz com que o cérebro humano interprete movimento ao relacionar imagens visualizadas a essa velocidade (24 imagens/ por segundo). Ou seja;  Ao serem projectadas numa tela 24 fotografias (24 imagens fixas), onde os objectos se apresentam numa sequência de movimento, com uma pequena diferença de tempo entre elas, a retina humana não tem capacidade para as acompanhar, devido à persistência da imagem na retina, o que faz com que se crie a ilusão de movimento.














Para a descoberta total do cinema faltava ainda o princípio da sucessão das imagens, o suporte para a sua fixação e a projecção das mesmas.



  

Lanterna mágica
Lanterna Mágica (projector de imagens) foi inventada pelo padre jesuíta Athanasius Kirchner, no séculoXVII.  Mas só com a descoberta da fotografia, inventada em 1822 por Joseph-Nicéphore Niépce e aperfeiçoada em 1839 por Louis-Jacques Daguerre é que se tornou possível fixá-las num suporte físico (pelicula e papel fotográfico)



Foram inúmeros os aparelhos que se surgiram para movimentar as fotografias segundo o princípio de Plateau.

De maior relevância, o praxinoscópio de Charles Émil Reynaud, que permitiu pela primeira vez em 1888 a projecção de imagens em movimento através de um espelho.


                                      

Praxinoscópio 
kinetoscópio (caixa para observar imagens) de Thomas Alva Edison, criado em 1891, permitia uma visão directa de imagens em movimento, mas não projectava as imagens.


Kinetoscópio de Edison
Cinematógrafo de Léon Bouly surge em 1893, mas foi a 13 de Fevereiro de 1895 que Louis Lumière tirou a patente de um aparelho que servia para a captaçãode provas cronofotográficas (sucessão de imagens do movimento decomposto), e que com a mesma denominação, era já uma espécie de máquina de filmar "ancestral".
É movido à manivela e utiliza negativos perfurados (fotografias em película) e um sistema de rodas dentadas, tornando possível a projecção de imagens em movimento, ao público.
O nome do aparelho passou a identificar, em todas as línguas, a nova arte das imagens em movimento.

Breve biografia dos irmãos Lumière

Auguste Lumière (1862-1954) e Louis Lumière (1864-1948) nasceram em França em Besançon. Filhos de Antoine Lumière, fotógrafo, proprietário de uma indústria de filmes e fabricante de papéis fotográficos.
Após frequentarem a escola técnica, realizaram estudos acerca dos processos fotográficos, até chegarem ao Cinematógrafo.
 Louis Lumière foi o primeiro cineasta realizador. O seu irmão Auguste participou também nas primeiras descobertas.

A primeira projecção cinematográfica



Paris, 28 de Dezembro de 1895. Apenas 33 pessoas atenderam ao apelo inscrito no cartaz e resolveram testemunhar a primeira sessão de cinema da história, apresentada pelos irmãos Lumière, no Grand- Café do Boulevard des Capucines, de Paris.


Publicidade à 1a sessão de projecção cinematográfica, Paris, 1985





O primeiro filme apresentado foi “Saída dos Trabalhadores da FábricaLumière”. Tratava-se pura e simplesmente da saída dos trabalhadores da fábrica Lumière.



 Saída dos Trabalhadores da Fábrica Lumière
No segundo filme “Chegada de um Comboio à Gare de La Ciotat”, consta que o comboio #parecia sair da tela" e a reacção do público foi de susto, escondendo-se debaixo das cadeiras...

Chegada de um Comboio à Gare de La Ciotat 
Análise da obra dos irmãos Lumière

 Os filmes dos irmãos Lumière têm no geral, cerca de 17 metros de filme e cerca de 50 segundos de duração.Filmados ao ar livre, são o registro de cenas do quotidiano, produções documentais de tendência realista. Mas existem também algumas comédias, apresentadas normalmente sob números de palhaços. “Os três Jones”foram alguns dos artistas de variedades convidados para os filmes Lumière, e o filme “Os Gatos Pugilistas” é também um bom exemplo da comédia Lumière. Neste caso, trata-se de uma simulação cómica de uma luta de ringue, entre dois gatos, com direito a luvas de boxe e a água no intervalo.

Os filmes não tinham som. Apesar de já se terem tentado algumas experiências, o som só chega ao cinema em 1927.

As imagens eram a preto e branco, pois o primeiro filme inteiramente rodado a cores só surge em 1935.
Os figurantes, nos seus primeiros filmes, eram na maior parte das vezes familiares e amigos da família. As instruções dos Lumière eram para que estes quando filmados ignorassem a câmara, no sentido de tornar as situações o mais natural possível.

A tendência puramente realista deve-se à curiosidade puramente científica dos irmãos Lumière. Ambos acreditavam que o cinema não teria futuro. Os seus filmes são caracterizados pela falta de efeitos especiais e pela “vida real e quotidiana" que os circunda.

primeiro efeito especial dos filmes Lumière, surge acidentalmente. Ao filmarem Destruição deuma Muro”, moveram por engano a fita para trás reconstruindo a parede em filme. O público vibrou com o fenómeno visual a que não estava habituado.
Os filmes Lumière são sempre filmados de câmara fixa. O primeiro Travelling surge à experiência. A câmara é fixa mas encontra-se a filmar dentro de um barco em movimento.

Os irmãos Lumière criaram cerca de 1425 actualidades. Deram origem ao documentário ao equiparem em 1896, alguns fotógrafos com aparelhos cinematográficos, e ao enviá-los para vários países tendo em vista a recolha de imagens de outras locais e culturas. “Os caçadores de imagens”, como eram chamados, fixaram câmaras em locais diversos, sem roteiro pré- estabelecido e registaram inúmeros acontecimentos.

O filme “Recolha da Roupa Lavada” foi rodado em fevereiro de 1898 por Alexandre Promio, operador- vedeta da casa Lumière. As ordens eram para que se facilitassem as filmagens já que estas destinavam-se a serem mostradas gratuitamente por ocasião de uma festa. Danças tradicionais, como a dança do Dragão da China, a dança Tirolesa ou a dança da Ciocciari, jogos, como o jogo da Sertã festejado no dia da Candelária, festivais, mercados, patinagem no gelo ou batalhas de neve, duelos que dão início ao “reality show”, são alguns dos exemplos.

Indígenas, árabes, mulheres, homens e crianças de todas as culturas, tornam-se nos figurinos dos filmes Lumière. O México, a antiga Mênfis, a cidade dos Dodges, Itália, Indochina, Japão, Londres e muitos outros, tornam-se o cenário dos filmes Lumière.
A peça de teatro “Nero Experimentando Veneno em Escravos” tornou-se a primeira peça “peplum” da história.

 A primeira visita de um oficial francês a Tunis, na Tunísia, ficou também registada nos seus filmes, bem como a coroação do Czar Nicolau II, filmada em Moscovo, que é considerada a primeira reportagem cinematográfica.

A 9 de março de 1986 é filmada a entrada com fila para o cinematógrafo em Londres.Todas as tardes havia projecções. O custo de entrada era de um xelim o que dava direito a visionar 10 peças.

O cinema só começou a utilizar estruturas narrativas e a utilizar recursos expressivos a partir de trabalhos de ficção realizados no início do século XX. “O Grande Roubo do Trem” de Edwin Porter, surge a 1903 e tornou-se o primeiro grande clássico do cinema americano, inaugurando o “Western” e marcando o início da indústria cinematográfica, juntamente com as produções de Georges Méliès e David Griffith.

Nos documentários dos Lumière, o cinema é o reflexo da realidade. Filmados com câmara fixa e utilizando oenquadramento centrado sugerem-nos o equilíbrio visual através da sua tendência realísta (realidade ou imitação da realidade).
Não existia ainda uma preocupação formal com os elementos de percepção visual ou com padrões de equilíbrio.direcção, o peso, e o volume dos objectos por vezes vão contra o nosso sentido de leitura.

 A composição não está limitada pelo enquadramento pois este é aberto, na medida em que os figurantes entram e saiem de cena. As personagens muitas das vezes surgem “cortadas” e o “fora de campo” é marcado pelo olhar dos figurantes, que se revela para além do espaço de cena.

 Os planos mais utilizados são o Plano Geral, em que os figurantes aparecem de corpo inteiro, a uma certa distância inseridos no conjunto do cenário, cuja importância se ressalta. Exemplos da utilização deste plano são os seus filmes: “Escorregando pela Neve” e “Serradores de Madeira”. Este tipo de plano descreve o ambiente onde decorre a ação.

Mas na maior parte das vezes é utilizado o Plano Médio, que mostra o figurante mais próximo, de corpo inteiro e apenas com alguns pormenores do cenário, desta vez completamente subordinado à presença humana. Exemplos deste plano são: “Partida de Cartas” e “Batalha de Neve”.

Curiosidades acerca destes e de outros seus filmes não faltam:  “Escorregando pela Neve” é o filme Lumière número 1260. foi filmado de verão pois teria sido muito difícil conseguir filmar de inverno. “Serradores de Madeira” mostra os serradores a serrarem madeira como era hábito numa cidade francesa que se dedicava a essa indústria.
 “Partida de Cartas” conta com a presença de Antoine Lumière e com um número de ilusionismo. “Batalha de Neve” é filmado a 2 de Fevereiro de 1897 e foi projectado a 7 de fevereiro do mesmo ano, o que demonstra que os seus filmes eram apresentados pouco tempo depois de serem filmados.

Um exemplo da utilização de um plano invulgar é o filme “Imagens de uma Baleeira em Marcha”. A Baleeira é uma pequena embarcação e os figurantes são marinheiros do navio- escola La Couronne. Neste filme é utilizado um Grande Primeiro Plano em que o objectivo principal reside em captar de muito perto o esforço dos marujos a remarem.
 Em relação à Luz, as filmagens são sempre exteriores, à luz do dia, reconstruindo um cenário interior quando necessário. O contraste Preto/Branco encontra-se na maior parte das vezes equilibrado, mas existem filmagens em que se torna um pouco mais dificil a percepção, pois encontram-se bastante escurecidas.

No caso dos filmes Lumière, a articulação Sinal/Sentido surge-nos através da expressão das personagens e do seu contexto. A linguagem quinésica (gestual) revela-se também fundamental para a compreensão da cena, uma vez que se trata de linguagem visual, as formas de percepção surgem-nos através da figuração. A linguagem visual funciona por objectos e os signos visuais sugerem-nos a tradução visual da narração de forma coerente (com princípio, meio e fim).

 Na comemoração dos 100 anos do cinema, no festival de Cannes, a homenagem foi para  os irmãos Lumière. Um dos seus filmes mais apreciados pelos seus efeitos foi “Aquário de Peixes Vermelhos”. Trata-se de um grande primeiro plano de um aquário redondo com peixinhos vermelhos. A iluminação é conseguida somente com a luz do sol o que provocou efeitos de grande beleza. É um bom exemplo de que na simplicidade também pode residir arte.

Os filmes Lumière apesar de primitivos revelaram ser exemplos de grande nível artístico. A sua tendência realista ficou a dever-se ao interesse puramente científico dos irmão Lumière pelo cinema, que não lhe viam grande futuro, mas que ainda assim dedicaram a sua vida a construir imagens e a registar o mundo.


Com cerca de cinquenta segundos de duração, a preto e branco, sem som, filmados de câmara fixa e caracterizados pela falta de efeitos especiais, podem dizer-se experimentais, mas a sua importância reside acima de tudo, no facto de terem sido uma alavanca de descoberta: os primeiros filmes da história do cinema.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...