O Calendário Judaico


O primeiro mês do calendário judaico é o mês de Nisã (Nisan, Nissan – Março / Abril), quando se celebra a Páscoa. O ano novo judaico, porém, ocorre em Tishrei (Setembro / Outubro).


Diferentemente do Gregoriano, é baseado no movimento lunar, onde a cada lua nova temos um novo mês. Cada ciclo lunar dura aproximadamente 29 dias e 12 horas e os meses judaicos variam entre 29 e 30 dias, como também ocorre no calendário Gregoriano, onde há meses com 28,29,30 e 31 dias.



A duração do ano judaico varia entre 353 e 355 dias, ficando geralmente com 354 dias, ou seja, cerca de onze dias a menos. Para compensar esta diferença, de tempos em tempos é acrescido ao calendário judaico um mês inteiro, representado pelo mês de Adar II, que é um mês embolísmico.

É por isso que o calendário judaico tem um mês a mais a cada três anos, que é quando a diferença dos onze dias formam cerca de um mês. É preciso um período de 19 anos para “ajustar” o Ano Lunar e o Ano Solar, para que ambos comecem exatamente ao mesmo tempo, sem defasagem.


Desta forma o calendário judaico está dividido em ciclos de dezenove anos. Em cada período, ou ciclo, há sete anos embolísmicos: o 3º, 6º, 8º, 11º, 14º, 17º e 19º. Assim, torna-se fácil descobrir se um ano judaico qualquer é embolísmico, ou seja, quando haverá 13 meses no ano.

Divide-se o ano judaico por 19; se o resto for 3, 6, 8, 11, 14, 17 ou zero, este será um Ano Embolísmico.



Tomemos o ano de 5768, equivalente ao Gregoriano 2008: dividindo-se 5768 / 19, temos um resultado de 303, sobrando um resto de 11. Significa que é o 11º ano do 304º ciclo desde a Criação do mundo, tendo sido 5.768 (2008), portanto, um ano embolísmico, ano com 13 meses.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...